Autor: Diego Guerra
Editora: Independente
Ano: 2015
Número de páginas: 40
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ana Júlia

 Sinopse: É na Vila do Almirante, no dia 1º de Maio de 1981, que Carolina escreve a primeira carta a sua amada: "Querida Dança". Neste romance epistolar, Diego Guerra escreve a doce história de uma mulher, amante da dança, que por tamanho amor, personifica-a, e endereça a ela diversas cartas, como fonte de único auxílio e socorro em meio ao ambiente conturbado em que vive. Diante ao desemprego de seu paí e as necessidades da família, a dançarina se vê a sacrificar o grande sonho que vive para atender as carências de seus pais. Com toques leves e precisos como passos de ballet, Carolina consegue seduzir o leitor e levá-lo a viver esse mundo em sua narrativa.

"Não consigo encontrar em outro lugar tamanho prazer que você me traz, mesmo procurando nos estudos, garotos, até em animais de estimação. Nenhum deles me toca dessa forma. Acredito ter nascido para você."

 Resenha:  Carolina é uma moça de 18 anos que dança desde muito nova e nutre um amor intenso pela dança. Sua família, bem simples é sustentada pelo pai que trabalha em uma fábrica, mas, que devido à crise foi dispensado do emprego, fazendo com que Carolina, tenha que abandonar sua grande paixão para ajudar no sustento da casa.
     A história tem um caráter epistolar, pois, é narrada através de cartas que Carolina escreve para a própria dança, sua amiga íntima.
     Esse é um conto para você ler sentado na poltrona em uma tarde tranquila tomando sua bebida favorita e refletindo sobres seus sonhos.
     O que mais me chamou atenção na história  e o principal tema deste foi a relação da menina com a dança, esta é tratada como uma um ser vivo, uma amiga próxima, e através das cartas enviadas Carolina desabafa sobre seus sonhos, medos e tristezas.
     Eu, particularmente, gostaria que tivesse mil páginas, para que eu pudesse ler em muito mais tempo, mas como é um conto a história é bem curta e concisa e o autor cumpre bem o papel do gênero.
Conheça um pouco sobre o autor:

Diego Guerra, quem assina seus trabalhos por GUERRA, nasceu em 1995, natural de Ribeirão Preto – SP. Atualmente, vive em São José do Rio Preto – SP, onde cursa Licenciatura em Letras, pela Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” - UNESP, com habilitação em Língua Portuguesa e Inglesa, e desenvolve sua pesquisa na área da Literatura Brasileira.
Recentemente o nosso parceiro Diego Guerra lançou um livro de poesias “O novelo do verbo”, logo mais terá resenha dele aqui no blog. Confira a sinopse:
A obra poética “O novelo do verbo” é o resultado de uma escrita cotidiana, do viver poetar, dia após dia. Neste livro, Guerra recolhe seus primeiros poemas e apresenta-nos de modo muito agradável um novelo, conflituoso, emaranhado, não de fios, mas de palavras, versos e estrofes, que ganham vida quando são acompanhadas por você, leitor.
Esta coletânea fragmentada em capítulos proporciona uma leitura convidativa para olharmos peculiarmente ao nosso redor. Guerra leva-nos nesse novelo aos principais temas que sempre motivaram a poesia, o amor, a saudade, a natureza, contudo, impulsiona-nos, também, a um universo próximo e ao mesmo tempo invisível aos viciados olhos dos homens.
Ler O novelo do verbo é deixar-se abraçar por uma leitura que incita o leitor, desde as primeiras páginas, a navegar em seus cordões feitos de versos, até esbarrar com a liberdade embaraçada de toda caminhada.




Autora: Rossana Cantarelli Almeida
Editora: Multifoco
Ano: 2016
Número de páginas: 346
Onde comprar: Ebook Livro físico
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira


Sinopse: Isabela Alencar é uma mulher jovem, independente e apaixonada por música. Na adolescência, seu irmão mais velho lhe apresentou às bandas de heavy metal. Após conhecer a banda Dawn Sunless e ser capturada pelo som da guitarra, decidiu estudar o instrumento.
Já adulta, morando no Rio de Janeiro e trabalhando na Assessora Jurídica da Marinha, vê sua vida ser marcada por uma tragédia. Decide, então, largar a carreira jurídica e dedicar-se à docência numa faculdade de música do Rio.
A partir daí, sempre apoiada pelos amigos Mila e Frederico, Isabela verá sua vida mudar completamente, com a aceitação da Dawn Sunless para sua pesquisa de doutorado.
Ela embarca para Nova Iorque para passar três meses no estúdio com a banda. Chegando lá, conhece pessoalmente seu ídolo, o guitarrista Luc Bellucce.
Com sinais sutis, tem início um despertar de sentimentos provocados por sensações intensas. Uma paixão que ela jamais pensou em viver novamente.

“Só não se esqueça de se divertir também. A vida é só uma e passa muito rápido.”

Resenha: Participei de um booktour feito pela Rossana e fui a terceira a receber “Apenas Respire”. Antes de iniciar a leitura já havia ouvido comentários sobre o livro bem extremados, então não sabia o que esperar, deixei que a história me surpreendesse e foi exatamente isso que aconteceu, fui encantada por esse livro.
           

       A protagonista é Isabela Machado Alencar, tem trinta e um anos, é professora universitária e doutoranda em música. Isabela é formada em duas faculdades, Direito e Música. A primeira faculdade foi um pedido de seus pais que diziam que ela não conseguiria se sustentar somente com a música. Isabela exerceu a profissão de advogada por alguns anos, mas após acontecimentos difíceis em sua vida mudou de profissão e se dedicou somente a dar aulas e produzir bandas e cantores (as).
            O livro começa com Isa recebendo um e-mail confirmando que ela será aceita para fazer sua tese de doutorado com a “Dawn Sunless” sua banda preferida desde a infância. Ela terá três meses em Nova Iorque para trabalhar no estúdio de gravações da Dawn Sunless e investigar as mudanças que poderiam ocorrer na sonoridade da banda com a troca recente do baterista, além de poder ficar bem perto de seu maior ídolo, o guitarrista Luc Bellucce. Ela só não imagina que essa aproximação poderá mudar de forma bastante radical sua vida.

“Os sentimentos mais verdadeiros não são descritos por palavras, mas pelo olhar.”

            Isabela é uma mulher forte e determinada, durante o livro percebemos algumas mudanças na forma como ela resolve as situações da sua vida. Em alguns momentos minha vontade era de poder entrar na história para dar um abraço nela, em outros senti vontade de segurá-la pelos ombros dar uma bela chacoalhada e dizer “não acredito que você vai fazer isso” kkk. Para quem gosta de fortes emoções durante a leitura “Apenas Respire” é perfeito.
            Todos os personagens secundários são muito bem construídos. Gostei especialmente de dois, o Frederico, melhor amigo de Isabela e de um personagem chamado Jean que o leitor conhece no decorrer da história e não posso contar qual o papel dele, pois seria spoiler. A Isabela, Frederico e Mila são amigos e confidentes inseparáveis, sempre dizem a verdade um ao outro e gostei muito dos comentários do Fred, ele é super divertido.
            A música é um tema presente em todo o livro, são citados trechos e títulos de diversas canções, tanto do rock nacional quanto internacional. A Isabela toca guitarra e é seu instrumento preferido. Sempre gostei de guitarra e a leitura me fez sentir vontade de aprender a tocar.
            “Apenas Respire” é um livro muito bem escrito. Com doses de romance, episódios que nos fazem rir e outros que nos dão vontade de chorar, consegue cativar o leitor e nos fazer “devorar” as páginas a fim de descobrir o final que, aliás, foi surpreendente! Mais um livro nacional ótimo que vale a pena conhecer.

“Na real, ninguém tem domínio sobre a vida. Somos jogados nesse mundo como se fosse uma arena. Os problemas vêm e ficamos digladiando com eles até um vencer. E eles nos vencem muitas vezes. Quando isso acontece, só temos uma opção: sacudir a poeira e partir para a próxima batalha.”




Autor: Kendare Blake
Editora: Globo Alt
Ano: 2017
Número de páginas: 304
Nota: 5/5
Resenhista: Ana Júlia

 Sinopse
Em Fennbim, a rainha governa até o momento em que dá à luz à sua trinca, três meninas, dotadas de muito poder; uma envenenadora, capaz de resistir à qualquer veneno; uma naturalista, capaz de controlar a natureza; uma elementar; capaz de controlar os elementos básicos, como fogo, tempestades etc.
Quando a rainha tem suas filhas, retira-se do poder e suas pequenas rainhas, são criadas juntas até o momento em que completam uma certa idade e são levadas para morarem e serem treinadas pela família mais poderosa que domina seu tipo de dom.

“Três rainhas sombrias
Num vale vêm ao mundo,
Pequenas doces trigêmeas
Nutrem um ódio proundo

Três irmãs sombrias
Lindas de se ver
Duas a serem devoradas
E uma Rainha por ser.” 

Resenha

Mirabella, a favorita e temida elementar, Arsinoe a subestimada naturalista e Katherine, a envenenadora de quem se espera a glória, são criadas por três tipos de famílias diferentes até que o ano da ascensão, quando completam 16 anos, inicia-se e após apresentarem suas habilidades em um evento, o Beltane, para todo país, devem matar suas irmãs, assim a sobrevivente torna-se a nova rainha.

Esse é o tipo de história, que leitores de fantasia vão adorar!

Os personagens são construídos de um jeito fascinante, há muitas tramas políticas e as rainhas, extremamente diferentes uma da outra, são apaixonantes!

A história é narrada por um narrador - observador que   em cada capítulo retrata os acontecimentos e sentimentos que acometem cada rainha, o efeito que isso provoca é o de compreensão sobre elas e dos personagens que a as rodeiam.
Percebe-se também, que há um "jogo" entre as famílias para alcançar a coroa, ou seja, a rainha e seu poder não é o fator principal para a vitória, mas, sim o poder de manipulação das famílias para fazem com que elas aparentem serem mais poderosas. Esses “jogos” ocorrem, principalmente através da manipulação, política e religiosa.

Um aspecto, que eu considero positivo, mas sei que muitos não gostam, é que a autora, simplesmente, nos" joga" no meio da história, ela não inicia o livro explicando sobre como funciona o país, sobre quem são as personagens, ou seja, explicando o universo criado, mas, vai explicando isso ao longo da livro. Eu adoro histórias assim, não suporto aqueles livros arrastados em que o autor fica 1000 anos explicando seu universo e nada de interessante acontece.  Mas, fique tranquilo, se você está preocupado que esse livro seja do tipo que você demora um tempão para entender o que está acontecendo, te afirmo que ele não é assim, bem rápido você já vai estar por dentro do que está acontecendo e super. viciado na história.

Outro aspecto positivo é que a leitura é super. rápida, devido aos pontos que falei acima:  ponto de vista das três rainhas e o fato de a autora não perder tempo explicado todo o universo.

Agora, vou falar um pouco do que não achei muito legal no livro ou que contrariou mimas expectativas

Primeiro, não é necessariamente algo negativo, só uma quebra de expectativa, eu esperava mais "sangue nos olhos" e maldade das rainhas, mas, o que me deparei foi com meninas legais e assustadas, o que condiz com a idade delas, já que é de se esperar que três adolescentes que nasceram para matar suas irmãs e governar todo um país não tenha de imediato uma grande autoconfiança.

Um ponto negativo, mas que ao longo do livro foi melhorando, é o fato das famílias terem mais influência e manipularem os acontecimentos, de forma, que poucas ações rumo ao trono partem das rainhas, ou seja, elas parecem ser o tempo todo levadas pelas atitudes de suas famílias, que, em alguns casos desejam mais a ascensão ao trono que elas.

Enfim, eu super. recomendo esse livro. É uma história realmente diferente, em um universo que nunca vi antes, não apenas uma junção de aspectos que já vimos em várias outras histórias.




Livro: Espíritos de Gelo
Autor: Raphael Draccon
Editora: Leya
Ano: 2011
Número de páginas: 176
Onde comprar:  Submarino, Saraiva,
Adicione no Skoob
Resenhista: Thaís Dreveck



Sinopse:
'Espíritos de Gelo' é um livro que navega pelo tempo e investiga fenômenos mágicos. Resgata aspectos de culturas milenares ao passo que viaja pela contemporaneidade - envolvendo desde séries de TV e os mais novos roteiros de Hollywood a bandas de rock e suas histórias surpreendentes. Seus personagens vivem e revivem histórias que parecem... Verdadeiras lendas urbanas. Neste livro, nada, absolutamente nada, é previsível. Quais são os limites físicos e psicológicos de um ser humano? O que ele é capaz de suportar? Quem pretende entrar no universo de 'Espíritos de Gelo' e descobrir isso precisa se preparar para viver emoções intensas - pois quando amor, dinheiro e poder se misturam qualquer final pode ser trágico.




Resenha


Capa 2/5
A edição que li era simples, no que digo simples eu falo sobre não haver nenhum desenho, ilustração ou imagem, apenas a capa preta e a fonte rebuscada cor de sangue. Não seria uma capa que procuraria ler (podemos dizer que “não se julga um livro pela capa”, mas todos nós já fizemos isso pelo menos uma vez na vida). Vi outra edição mais bonita, com uma imagem ensanguentada de boa resolução com um contraste marcante e convidativo. Não posso esquecer-me de falar do detalhe que apenas vi com Raphael Draccon, a assinatura que marca todos os seus livros.






História 3/5
Primeiro devo dizer o quanto sou apaixonada pelos livros de Draccon, Dragões de Éter me abriram portas para literatura nacional, Cemitério de Dragões e Fios de Prata que me fazem vidrar na leitura até o fim. Quando vi mais um livro que não conhecia, decidi lê-lo. Bem não foi tudo o que eu esperava, boa parte por simplesmente não conseguir entender o que se passa neste livro. Talvez minha capacidade de interpretação não foi suficiente, mas particularmente não curti muito em comparação com todos os outros livros que já li do mesmo autor.

Neste livro, o cenário épico e fantástico que vi em seus outros livros foi transformado em um macabro e sádico. Tudo começando com um homem acordando preso a uma cadeira, sem memória, cercado por três sadomasoquistas que pretendem fazer com que ele se lembre de cada coisa que aconteceu em sua vida de uma forma agonizante, machucando, ferindo, tentando provocar um trauma para desbloquear suas lembranças, as quais vão sim aparecendo aos poucos, principalmente o porquê de aqueles homens terem o encontrado numa bacia de gelo sem um rim (não é brincadeira).

Outro motivo de estranhar tanto é a orgia louca que rola na história. Basicamente senti que era apenas sobre isso, afinal em suas memórias sombrias, o homem se relembra em uma seita onde o sexo leva à elevação espiritual. Onde o usam como uma forma de transformar-se por dentro. Em meio às suas lembranças loucas e perturbadoras, está uma mulher que mexe com seu coração e abre o caminho do conhecimento, uma gigante luta interna e a forma macabra. Tudo isso em uma escrita maravilhosa, e bem no estilo contemporâneo, que digo sobre o formato da fragmentação textual para obter ênfase. Muitas pessoas não curtem isso, mas acho muito legal. Ademais o livro é recomendado para maiores de idade que não se importem com cenas assustadoras e perversas.




Sobre o Autor


Raphael Draccon é romancista best-seller e roteirista premiado pela American Screenwriter Association. Foi considerado pela Revista “Isto É” como um dos dez escritores mais influentes do mercado  brasileiro. Com sua principal trilogia de fantasia “Dragões de Éter” chegou ao primeiro lugar no Brasil, quarto lugar no México e também foi publicado em Portugal. Com a marca de 500 mil exemplares vendidos, teve seu trabalho citado por Walcyr Carrasco na novela Amor à Vida e seu nome por Paulo Coelho em Frankfurt como um dos autores que move o mercado nacional. Também foi script doctor para a O2 Filmes no projeto de Fernando Meirelles com a Universal Pictures e Focus Features. Em 2015 entrou para o time de roteiristas da Rede Globo de Televisão, participando de Supermax e projetos da Globo Filmes. Atualmente vive em Los Angeles após receber um Green Card como “Aliens of Extraordinary Abilities”, onde trabalha para TV e cinema com empresas como Sony Latin America.




Olá queridos leitores! Hoje vim fazer um convite muito especial 💗 No mês de outubro em comemoração ao Halloween vamos participar de uma maratona literária, o Outubro Horroroso. Essa maratona foi ideia do meu amigo Samuel (modernoliteral), vamos fazer uma leitura conjunta de “Drácula”, mas cada um pode montar sua própria listinha de leitura incluindo livros de suspense e terror.
Já montei minha TBR, pretendo ler cinco livros:

Bram Stoker foi magistral ao criar uma narrativa que, por meio de cartas, diários e telegramas, conta como um grupo se vê enredado na trama de um sinistro conde. Eles decidem então perseguir e destruir essa terrível criatura que encarcera e seduz suas vítimas, para depois sugar-lhes o sangue. Drácula: arquétipo do mal, não há quem não conheça esse nome. Escrita há mais de cem anos, a história do vampiro mais célebre e mais aterrorizante do mundo ainda hoje ganha novas adaptações para cinema, quadrinhos, teatro e dança. Aqui em versão integral, o romance original do escritor irlandês inspira-se tanto na história de Vlad Tepes, sanguinário príncipe da Romênia que viveu no século XV, quanto em lendas sobre esse personagem e sobre vampiros.








Dr. Jekyll é um renomado médico em Londres. Homem de posses, consegue conciliar seu trabalho diário com seus experimentos científicos, através dos quais busca realizar um desejo secreto. Sua determinação se baseia em uma única convicção: "O homem não é verdadeiramente um ser, mas dois." Enfim, dr. Jekyll cria uma poção que o permite liberar seu lado mais vil. Na personalidade de Mr. Hyde, as atitudes mais violentas são tomadas, deixando par o médico a integridade dos bons atos. Mas um desfecho surpreendente põe em xeque a aparente liberdade e controle do médico.




Coraline acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração.Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento vazio no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém, a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.



Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular. Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo.Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados.







Johanna Dorne é uma mulher que perdeu todas as pessoas que amou. As tragédias de sua vida começaram com um acontecimento marcante quando ela tinha 13 anos. Três décadas depois, ela se transformou em uma mulher solitária, confusa e inclinada à autocomiseração, que não consegue manter contato social com ninguém. Até conhecer Michel Brum, um homem charmoso e misterioso que a resgata de sua vida patética, devolvendo-lhe a felicidade há tanto tempo perdida. Só que Michel acaba mostrando que não é tão perfeito assim, e um segredo mortal jogará Johanna novamente em um abismo.
           


     A autora Soraya Abuchaim é a apoiadora oficial do evento, conheça um pouco mais sobre ela:

     Soraya Abuchaim é casada, mãe e apaixonada por livros, tendo como mestre Stephen King. Ama vinho e histórias que tenham sangue, e não vê problemas em matar alguns personagens quando necessário. Começou a escrever contos de forma despretensiosa em seu blog Meu Meio Devaneio e, de uma ideia simples, surgiu seu primeiro suspense, Até eu te possuir. Hoje, ela trabalha em outros projetos literários, incluindo alguns contos na Amazon, o mais atual chamado Madrugada Macabra, que chegou a ser um dos mais baixados na categoria terror e suspense. A Vila dos Pecados é seu segundo livro.

         
   
     Os participantes da maratona vão concorrer a livros no final do mês, caso queira participar é só montar sua lista de livros e entrar para o nosso grupo no whatsapp, vou deixar o link logo abaixo, beijos e até a próxima.




Autor: Marvin Cross
Editora: Independente
Ano: 2016
Número de páginas: 118
Onde comprar: Desapaixonante
Adicione no Skoob
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira

Sinopse: Desapaixonante - 1ª temporada é o primeiro volume de uma websérie literária sobre o casal de amigos Sávio e Milena que comandam uma agência especializada em ajudar as pessoas a se desapaixonarem. Sempre narrados de acordo com os pontos de vista de um dos protagonistas, os episódios são sempre repletos de humor, sarcasmo, críticas à sociedade moderna e muitas referências a músicas e cultura pop. Uma história para rir e desestressar.

“Quando você não faz na vida o que deve, a vida faz por você do jeito dela.”

Resenha: Quando me deparei com a capa de “Desapaixonante” e o próprio título do livro, imaginei que fosse uma história em que personagens frios e “sem coração” destroem o amor de outras pessoas sem o mínimo de dose de culpa. Sinto-me muito feliz em admitir que estava errada e que a história superou minhas expectativas.
            Sávio Miranda tem vinte e oito anos e era estudante de Ciências da Computação, até que resolveu trancar o curso. Milena Kerber tem a mesma idade de Sávio e é formada em psicologia. Juntos os dois amigos são donos da ANNA, Agência do Negócio Nada Apaixonante, empresa que funciona como um cupido ao contrário a fim de fazer as pessoas se desapaixonarem umas das outras.
            Cada capítulo do livro apresenta clientes que buscaram a ANNA a fim de esquecerem suas paixões e como Sávio ou Milena agiram para solucionar cada caso. Conhecemos, por exemplo, Jéssica que se apaixonou por Romualdo o namorado de sua melhor amiga, ou Maitê que quer esquecer Àtila Gonzalez, seu atual namorado.
            Meu preferido foi o de “Julinho Cowboy” cantor sertanejo que encanta suas fãs. No caso em questão ele era o objeto de paixão de uma garota de quatorze anos e que precisava ser esquecido. Dei boas risadas com os capítulos do livro que falaram desse personagem e tivemos grandes revelações sobre o verdadeiro caráter dele o que gerou grandes críticas da nossa sociedade a fim de nos fazer refletir.

“A ANNA não trabalha para extirpar o amor do coração, mas para deixar o coração respirar mais leve.”

            O Sávio é inteligente, bastante antissocial e solta algumas piadas muito divertidas, ele passa por diversas situações complicadas ajudando os clientes e isso torna a história ainda mais engraçada.

“A minha antissociabilidade é como um bicho de estimação feroz que eu tenho que guardar em dia que a casa fica cheia, para não incomodar as visitas.”

            Minha personagem preferida acabou sendo a Milena, com seu jeito ousado e corajoso ela fala o que é preciso sem rodeios, dando um choque de realidade em todos ao seu redor. Além de ter muita personalidade com suas madeixas azuis.

“Ás vezes é só falta de uns bons tapas.”, esta é Milena sendo Milena, surpreendentemente cortante como uma navalha numa noite escura.”

            O casal de amigos se dá bem juntos e eles garantem que vão e devem ficar somente em uma relação de amizade, mas sinceramente estou torcendo para que eles fiquem juntos embora isso seja contra os mandamentos da ANNA.
            A primeira temporada de “Desapaixonante” possui onze capítulos mesclando a narrativa dos protagonistas e deixa um questionamento no final que serve como gancho para o desenrolar da segunda temporada. A narrativa é rápida, com muitas doses de humor e por ser uma “websérie literária” é um livro super rápido para se ler, podendo ser concluído em um dia. Recomendo muito a leitura desse livro, ele cumpre sua proposta de fazer o leitor rir e desestressar.

“Ora, compartilhar um pouco do que sabemos com o resto do mundo não vai nos deixar mais pobres. E eu sou da opinião de que, se você tem um dom, parte dele precisa ser compartilhado sem que você espere retorno financeiro.”


                    Conheça o autor:

Marvin Cross é o nome de escritor usado por Marcos Vinícius Borges da Silva, um maranhense de 31 anos que reside no Amapá há mais de 20 anos. Formado em Letras, Marvin atua como professor de inglês e desde os 13 escreve textos que vão de poesia, contos a romances. Lançou um livro de poesia evangélica em 2013 e, em 2015, iniciou a série literária Desapaixonante, com previsão de conclusão até o final de 2017. Marvin é casado, tem um cachorro, adora ler, escrever, ver séries e filmes e acompanhar canais no Youtube. 

Facebook do autor: 

Página de Desapaixonante no Facebook:




Autora: Sheila Lima Wing
Editora: Independente
Ano: 2017
Número de páginas: 127
Onde comprar: Louco amor de fã
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira


Sinopse: Imagine o que aconteceria se seu maior ídolo passasse um fim de semana na sua casa... tentador, não? Eu não pensava assim.
     Se já não bastasse uma família que não me compreende, de repente surgiu a difícil tarefa de manter minha melhor amiga longe de uma desilusão amorosa com seu cantor favorito, uma confusão que acabou reacendendo sentimentos que há muito tentava esconder de todos. Essa coisa de ser fã é difícil demais, com certeza não queria voltar a sofrer por alguém que nem sabe que eu existo... Que tal me acompanhar nesse romance um tanto incomum?
     "Era como se aquele louco amor de fã permanecesse vivo, pulsante, uma entidade imortal entre tantas coisas que simplesmente sumiam com o tempo".
     "Louco Amor de Fã" é uma obra YA leve e inusitada, perfeita para quem quer se apaixonar em poucas páginas!

“Seja lá qual forma de amar nos aguardasse na próxima página, agora sabia que só era preciso mergulhar mais fundo nesse romance um tanto incomum.”

Resenha: Quem nunca foi fã número um de alguém e sonhava em poder ficar perto de seu ídolo ou até mesmo que ele (a) soubesse de sua existência? A Maria das Dores da Costa Dias, ou simplesmente Madori, com seus quinze anos de idade sonhava acordada com o dia em que conheceria Teo Queiroz, um colunista de quem ela era fã incondicional apesar de não saber nem como era aparência dele, pois Teo não revelava seu rosto nem por foto.
 Madori resolve escrever uma carta para Teo e quão grande é sua surpresa quando ela recebe uma resposta de seu tão amado colunista! Finalmente Dori teria um assunto para conversar com suas irmãs que tanto implicavam com ela, mas as meninas riram dela e de seu ídolo e isso fez com que Madori blindasse seu coração contra esse amor impossível.
Já com vinte e dois anos Madori ainda tem problemas com as irmãs e sua relação com o pai não é das melhores, o que ela mais quer é juntar o dinheiro necessário para comprar a casa em que mora com a melhor amiga Lívia Magalhães e assim conquistar uma maior independência. A oportunidade de ganhar um dinheiro extra surge de uma ideia de Lívia: deixar a casa das duas à disposição de Cássio Lira, cantor sertanejo do qual Liv é grande fã e que irá fazer um show na cidade das duas amigas no fim de semana. Apesar da preocupação Madori aceita a proposta e por alguns dias acaba tendo que enfrentar um cantor convencido que chega acompanhado por Karol, uma moça um tanto quanto peculiar. Dori tenta proteger a amiga de ter seu coração partido, mas esse fim de semana promete muitas aventuras e descobertas para ela mesma.
Gostei especialmente de um trecho da história onde Madori está passando por momentos de dúvidas e incertezas e vai até uma igreja espairecer, lá um padre a tranqüiliza e acho que foi um momento lindo do livro com uma frase marcante.

“O problema de quando temos poucas estrelas no nosso universo é que quando uma delas se apaga, parece que estamos envoltos em escuridão.”

Em cada início de capítulo conhecemos frases e pequenos poemas de autores amigos da Sheila e durante a história temos sugestões de livros nacionais já que a protagonista é uma leitora voraz e não abre mão de seu Kindle. Há várias referências na história, por exemplo, a série Doctor Who, Power Rangers, o anime Naruto e até mesmo Harry Potter.
A história é narrada em primeira pessoa, a leitura flui facilmente e é um livro rápido de ser lido. Sheila conseguiu me enganar direitinho com determinado personagem e me cativou da primeira até a última página. Ela escreve muito bem e já estou com vontade de ler a trilogia “Doce sonho alado” também de sua autoria, aliás, já me considero grande fã dessa brilhante autora.
“Louco amor de fã” é um YA leve e fofo e o romance inusitado que acontece no fim da história deixa tudo divertido.

“E a vida continuava boa demais, porque meu universo estava iluminado com uma nova ‘estrela’, e agora eu sabia a importância de conservar essa luz.”





Autora:  Cecília Mouta
Editora: Chiado
Ano: 2017
Número de páginas: 346
Links para compra do livro: 
Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐
Resenhista: Ariela Oliveira

Sinopse: Izzy é fascinada pela neve, o inverno é sua estação do ano preferida. Todos os dias, na escola, ela se diverte com seus melhores amigos: Lil, Sam e Mat. Porém, Lil sofre de pesadelos e toda vez que os tem, algo ruim acontece em seguida.
     Naquele ano o inverno estava diferente, intenso. E, certo dia, Lil tem um pesadelo que muda completamente a vida dos quatro amigos. Os episódios seguintes levam o leitor a viver momentos emocionantes nas descobertas que Izzy faz sobre a própria vida. Até que chega o momento crucial em que ela tem que fazer uma escolha que poderá colocar um ponto final em toda a sua história até ali, inclusive na amizade com sua melhor amiga Lil.

“A verdade era que não importa se vivemos oito ou oitenta anos. A vida sempre será curta, porque sempre haverá sonhos a serem realizados, e não teremos tempo para eles.”

Resenha: Sabe aquele livro que te faz ter diversas sensações e sentimentos? “É inverno” da autora Cecília Mouta é exatamente esse livro.  
            Iniciei a leitura com uma expectativa muito grande para com esse livro e a história não me decepcionou. Confesso que no meio do livro fiquei bem perdida com determinado acontecimento, mas no decorrer das páginas tudo foi explicado e nenhum ponto da história ficou solto.
            Izabel ou simplesmente Izzy, é uma menina de oito anos prestes a comemorar seu nono aniversário, que mora com seus pais e é apaixonada pelo inverno e pela neve. Todos os dias na escola são passados ao lado de seus melhores amigos, Lil, Mat e Sam. O quarteto é inseparável e se divertem bastante juntos.
            Lílian, a Lil, tem uma característica peculiar, às vezes ela tem pesadelos e quando os tem algo ruim acontece. Em uma manhã que poderia ser normal Izzy chega à escola e percebe que sua amiga está diferente e a mesma revela que um sonho ruim é o motivo de sua tristeza e preocupação. Algo péssimo acontece na vida real e os quatro amigos são afetados de forma muito significativa por esse acontecimento. A partir daqui se eu revelar muita coisa vai acabar sendo spoiler, mas posso dizer que após o ocorrido acontece uma evolução muito grande na vida dos personagens e que muda completamente o destino deles, especialmente de Izabel.

“- Fico feliz que esteja crescendo e amadurecendo, Izzy.- Às vezes não temos escolhas, mãe – voltei a olhar pela janela. – Eu não gostaria de crescer, mas a vida não nos dá essa opção.”

            O livro é narrado em primeira pessoa pela Izzy, gostei disso porque o leitor pode entender tudo que ela está passando e sentindo. No início da história em alguns trechos descritos pela protagonista eu não conseguia imaginar ela com apenas oito anos, parecia um pouco mais madura, mas acho que a autora conseguiu desenvolver bem isso. É possível perceber na Izzy aquela fase em que a criança ainda faz alguns questionamentos “infantis”, mas ao mesmo tempo consegue entender assuntos mais complicados, mais “adultos” e tem uma sensibilidade muito grande.

“Não é porque crescemos que devíamos apagar os significados da nossa infância. Afinal, a infância era a parte da vida onde éramos mais inteiros.”

            Já comentei em outras resenhas como eu gosto quando o autor cita outro autor, livros ou músicas e a Cecília Mouta fez isso citando trechos da música “Fix you”, uma música linda e marcante da banda Coldplay.

“Lights Will guide you home and ignite your bones and i Will try to fix you
Luzes vão te guiar para casa e incendiar seus ossos e eu vou                                          tentar consertar você.”  
Escrever sobre “É inverno” é escrever sobre sensações porque como eu citei no início da resenha essa foi uma das coisas que o livro me proporcionou. Em um trecho da história os amigos estão na escola e uma tempestade se aproxima. Relâmpagos brilham no céu e todas as crianças são orientadas a permanecerem dentro da sala. Lá fora já parece noite por conta da chuva torrencial e isso deixa todos assustados, mais especialmente Lil que estava muito nervosa. Lendo esse trecho retornei ao ano de 2007, no ensino fundamental, quando um fato exatamente igual aconteceu comigo. Pareceu tudo real novamente, olhar pela janela da sala de aula e ver o céu escuro como noite e a professora pedindo para todos se acalmarem que logo a tempestade iria passar. Esse misto de sensações e lembranças foi o que mais me agradou e marcou.

“[...] mesmo triste nunca deixe de se encantar pelas coisas simples que sempre lhe encantaram antes.”

            “É inverno” tem frases lindas e marcantes. Amizade, família, a importância de aproveitar cada minuto da vida e valorizar as pessoas que estão ao nosso redor são temas muito bem retratados no decorrer da história e o final passa uma mensagem muito bonita. Mais um livro nacional que entrou pra minha lista de favoritos nesse ano

“As pessoas viviam se perdendo no futuro ou no passado e acabavam deixando a possibilidade de viver o tempo presente.”


            Conheça um pouco sobre a autora:



Cecília Mouta nasceu no interior do Estado do Rio de Janeiro, em 1993. É graduada em Publicidade e Propaganda pela Pontifícia Universidade Católica (PUC - Rio). Além de romances, ela também se dedica a escrever roteiros, poesias e a fazer composições. Apaixonada pela música, ela toca violão e estuda piano. É a autora de "O Colecionador de Borboletas", publicado pela Novo Século em 2012.